Casa de Recuperação e Benefícios Bezerra de Menezes

Museu Roustaing

A verdade, para triunfar e ser aceita, tem primeiro que se chocar com as contradições dos homens. — Roustaing

1.ROUSTAING - ORIGEM FAMILIAR

Jean Baptiste Roustaing nasceu na comuna de Bègles, cantão de Bordeaux, departamento da Gironde, França, às oito horas da manhã de 15 de outubro de 1805, uma terça-feira. Seus pais foram o Sr. François Roustaing, negociante, então com trinta e três anos e a Sra. Margueritte Robert, sua esposa, residentes em Bordeaux.

Não se sabe ao certo o endereço de residência do casal quando do nascimento de Jean Baptiste, mas a certidão de nascimento de Joseph Adolphe Roustaing, irmão mais velho do nosso biografado, que nasceu no dia 6 de outubro de 1803, na casa de seu pai, indica como endereço da família o número 01 da Porte de la Pont de Saint-Jean. Nada garante que em 1805, quando do nascimento do nosso Roustaing, seus pais continuassem a residir neste endereço. François e Margueritte tiveram ainda mais dois filhos: Jeanne Mathilde (1815-1898) e Alfred.

O significado da palavra Roustaing vem do nome pessoal alemão Hrodstain, composto dos elementos: hrod = destaque e stain = pedra. Nas variações deste nome se incluem: Rostang, Rostand, Roustan e Rostain. A forma latina é Rustanhdus. Ele traduz a noção de pedra principal, pedra de destaque, ou, ainda, pedra gloriosa. Este nome pertence a duas das mais antigas famílias de Talance. Em seus arquivos se encontram textos que registram, no século XIII, a presença dos Roustaing, quando esta vila era uma simples floresta. A história assinala o vultoso Guillaume Roustaing, primeiro habitante de renome de Talance, que fora prefeito de Bordeaux, em 1229. Ainda nesta vila, temos até hoje dois destacados palácios que pertenciam a estas duas famílias, um conhecido como a Velha Torre ou Torre de Roustaing, e outro chamado Prince Noir; todos importantes pontos turísticos da região, e que marcam a importância destas famílias nos aspectos culturais, econômicos e políticos do local. A Ville de Talance, em justa homenagem, dedica o nome de uma de suas principais ruas a estas famílias como um todo, pela importância histórica que representam: rue Roustaing.

Não obstante a nobreza do nome e da origem familiar, Roustaing teve sua infância e juventude marcadas pelas agruras financeiras: “Dera-me Deus por provação ser, desde a juventude, desde o momento em que entrei na vida social, filho de minhas obras, no seio da pobreza, pelo estudo, pela fadiga, pelo trabalho” (QE, I, 57). Seu pai, Sr. François, enfrentou dificuldades ao longo de toda a formação de Jean Baptiste, sacrificando-se até a ponto de esgotarem seus recursos para ajudá-lo nos estudos. Mas valeu! O rapazinho completou seus estudos básicos no famoso Liceu Real de Bordeaux, adquirindo uma educação boa e sólida, e as dificuldades financeiras desse período foram superadas mais à frente.

O presidente da Ordem dos Advogados de Bordeaux, quando do falecimento de Roustaing, em 1879, e responsável pelo discurso fúnebre feito em sua homenagem, Sr. Battar, conta-nos que “ao sair do colégio, era preciso escolher uma carreira, e os sacrifícios, que seu pai se havia imposto para lhe ajudar, haviam chegado ao fim” [...] “Tornou-se professor para poder se transformar em estudante. De um lado, ensinava matemáticas especiais, obtendo, assim, os recursos necessários para fazer face às despesas com taxas de inscrições e às necessidades de sua vida; de outro, seguia assiduamente os cursos da Escola de Direito”.

2.FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Roustaing chega a Toulouse em 1823, ano em que completaria 18 anos. Aplicado nos estudos, esgotado pelo excessivo trabalho que lhe tirava muitas horas de sono, foi-se adaptando gradativamente ao mecanismo dos exames, esforçando-se para vencê-los. Aos poucos, as notas magras, sem distinção, vão se elevando, até ser distinguido, no final do curso e na defesa de sua tese. Em 12 de agosto de 1826, emite-se o certificado que informa que J. B. Roustaing defendeu o ato público de licenciatura (tese), tendo recebido a menção: distinguée. Foi o coroamento de seus pungentes esforços... Roustaing especializou-se em direito comercial.

Conquistados os seus diplomas, ele não se acomoda, e parte em busca da necessária especialização. Trabalhou em Paris como ajudante de escrivão, e aprendeu, nesta função, a pôr a lei em execução, ganhando assim também um salário providencial, suficiente para se sustentar na grande metrópole e poder, ao mesmo tempo estagiar “com os príncipes da palavra e com os favoritos da fama”. Três anos de estudos e observações se passaram, num dos melhores centros de estudo de Paris. Agora, estava o nosso missionário pronto para voltar a Bordeaux e exercer bem a sua carreira de advogado. Tudo estava preparado para o seu sucesso profissional, como informou o Sr. Battar: “Tinha-se munido de todas as peças”. CONTINUA