Casa de Recuperação e Benefícios Bezerra de Menezes

Nossa História

A Verdade, para triunfar e ser aceita, tem primeiro que se chocar com as contradições dos homens. — J.B.Roustaing

III – CRESCE A ÁRVORE

Imagem de galhos de árvore

Com a mudança efetuada em 05 de julho de 1963 a nossa “árvore” cresceu rápido. Ainda no mesmo ano, exatamente a 02 de dezembro, realizou-se a Primeira Assembleia Geral Extraordinária, para aprovação do primeiro estatuto e Conselho Diretor. É com imenso carinho que lembramos o grupo de companheiros que, juntamente com Azamor Serrão, alegremente assinaram a ata daquela memorável reunião...

Eram todos oriundos da Iniciação Bezerra de Menezes, formada nos Irmãos do Oriente: Bichara Koiaque Filho; Roberto Chaad Nej, Antônio Ferreira Alves, José Rezende, Karlos Tissembaum, Flamarion Pinto de Campos, Hamilton da Silva Quintaes, Ana Maria W. Magalhães, Antônio Alberto Afonso, Eva Tissembaum, Eunibaldo, Adisa Dias Pinto, Orlando Nazarini, Azamor Serrão FIlho, Paulo Roberto Serrão, Arlete da Rocha Serrão, D. Inocência Gonçalves Serrão, D. Celina Beltrão de Melo, a nossa querida Helena de Miranda Castro (depois Portinho).

Os anos seguintes foram profícuos na oficina criada por Bezerra de Menezes, através da firmeza e da dedicação de Azamor Serrão. Calor, idealismo, fraternidade e boa vontade, somados à intensa mediunidade, trouxeram a assistência segura da espiritualidade maior a todos que ali aportavam.

Azamor Serrão ficou cego, mas prosseguiu firme no trabalho de reconstrução da “Casa Azul dos Benefícios”, congregando no calor de seus ideais um número cada vez maior de colaboradores sinceros e dedicados. O sonho da sede própria começa a tomar forma… É nessa ocasião que chegam ao nosso convívio os irmãos Armanda Pereira da Silva e Renato Galdêncio Ramos, que anos mais tarde seriam fundamentais para a concretização desse sonho. Nem mesmo a desencarnação de Azamor Serrão, a 1° de agosto de 1969, conseguiu arrefecer o ânimo dos que militavam na seara reconstruída por Bezerra de Menezes.

IV – SOB A REGÊNCIA DE AZAMOR (ESP)

Azamor Serrão

Transferido para a pátria espiritual, Azamor prossegue na regência das atividades da Casa, e como afinada e vibrante orquestra todos os setores se ajustaram.

Por indicação sua, Armanda Pereira da Silva foi empossada na Orientação, em memorável Assembleia, e por sugestão do inesquecível Ivo de Magalhães, secretário geral do Conselho de Administração, modificou-se o Estatuto: o título de Orientador Geral é perpetuado unicamente para homenagear Azamor Serrão; e cria-se um novo título, Orientador Responsável, para designar a direção de todas as funções da Casa, mantendo-se-lhe o caráter vitalício.E assim, nossa irmã Armanda passou a ser designada como Orientadora Responsável.

Foram suficientes 4 anos apenas, para a concretização dos ideais de nosso fundador, e em 29 de agosto de 1973, como justa homenagem ao venerando Espírito de nosso Patrono Bezerra de Menezes, inaugurou-se a sede própria, situada à R. Bambina 128.

Exatamente como fora planejado por Azamor Serrão, convidou-se o orador Newton Boechat para a palestra de inauguração, o qual proferiu o tema “Aspectos da Crucificação e Ressurreição de Jesus”. Estiveram presentes o vice-presidente da F.E.B., Dr. Abelardo Idalgo de Magalhães, o presidente do Solar Bezerra de Menezes, Sr. Luiz Montorfano e o escritor e jornalista espírita Luciano dos Anjos. Em festiva comunhão de almas, encarnadas e desencarnadas, reinou naquele evento sublimado sentimento de amor verdadeiramente cristão.

Enfim, completava-se a reconstrução da Mansão Azul dos Benefícios, materializava-se o sonho de Bezerra de Menezes e Azamôr Serrão na definitiva sede.

Bem, isto foi em 1973. De lá para cá já se foram alguns anos de muito trabalho.(CONTINUA)