Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação e Benefícios

Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. — Allan Kardec

DENTRO DE NÓS

Todo site depende de muitos e muitos "pescadores de pérolas". Essa nos vem pelas mãos amigas de nossa irmã Mari Assad, que recuperou "do baú" essa preciosidade - uma mensagem de nosso Patrono, Bezerra de Menezes, recebida mediunicamente pelo fundador e Orientador Geral de nossa CASA, Azamor Serrão, há exatos 50 anos! Aproveitem ... é jóia rara!

Do fundo do nosso ser, bem do nosso intimo, da profundeza de nossa alma, é que rebentam as forças, explodem as energias, que constroem e alimentam a nossa felicidade, ou nutrem e organizam as nossas angústias.

É no laboratório profundo e maravilhoso da nossa personalidade, com as suas ânsias de perfeição e com as suas fraquezas de maus prazeres, que se arquitetam, e se erguem, e crescem e tomam corpo, e se desenvolvem, - a tranquilidade de consciência e o ranger de dentes dos martírios.

Não é de fora de nós, nem é dos outros,- que vem a realidade de nossa vida - só de nós, dos nossos pensamentos e das nossas ações, de nossas atitudes e de nossa conduta, de nossos sentimentos e de nossas inferioridades, é que se constituem a realidade de nosso mundo e a verdade de nosso destino.

A força de cada um está dentro de si mesmo, tanto maior, mais poderosa e mais sublime, quanto mais livre pelo amor e pela ânsia de fazer o bem, estiver a criatura dominada - penetrando-se pela certeza imperecível de que além do mundo que vemos, e das coisas que sentimos, e das criaturas que conhecemos, e de tudo que os olhos enxergam, que as mãos palpam, e os sentidos sentem - muito mais há, e que além da carne, além da vida deste mundo, na escala infinita da perfeição, continuaremos a viver na verdade de nosso espírito e na imortalidade do nosso eu.

Que cada um se convença, meditando. Cada qual na sua crença e na sua fé, que o ódio atrai o ódio - que a ilusão atrai a ilusão - que o mal atrai o mal - que a intolerância atrai a crueldade - e que só o amor, o bem querer, a boa vontade, a tolerância,a sinceridade, o desejo do melhor, a ânsia de perfeição, o entusiasmo pela renúncia, o sacrifício pelo próximo, é capaz de realizar a suprema magia da vida, a mais luminosa alegria da alma, a mais poderosa tranquilidade da consciência - a esplêndida felicidade dos que começaram a compreender o Mestre Solar, que é o Caminho, a Verdade e a Vida: Nosso Senhor Jesus Cristo, ensinando: - ama ao teu próximo como a ti mesmo.

Mas, como amar o próximo como a ti mesmo?

Será afirmando a fé?

Será dizendo que crê e que professa essa ou aquela religião?

Amar ao próximo, será jogo de palavras? Maneira de dizer?

Expressão cantada em discurso, ou murmurada em prece?

Será frequentando templos de orações, ou jejuando, ou dando esmolas do que nos sobra, ou lamentando os que sofrem que se amará ao próximo?

Não isto só, porque é muito mais que isto. Isto são só palavras que repercutem no vácuo ou atitudes ocas que não têm eco porque ressoam no vazio.

Amar ao próximo, é ato vivo da vida, é atitude traduzida por atividades reais, que fazem renascer esperanças, consolar desesperados, aliviar dores, enxugar as lágrimas, - é gesto do coração que brilha na luz dos olhos na ânsia de diminuir sofrimentos,é força do espirito que dá calor a voz que fala, ritmo ao pensamento, encanto a energia, que quer transformar pela magia soberana do amor - a desilusão em esperança dor em justiça, o desespero em resignação.

Mas..., sobretudo para amar ao próximo é preciso saber amar a si mesmo, e, porque,de regra, não se sabe amar a si mesmo, é que, muito pouco se poderá amar ao próximo.

Amar a si mesmo é tudo fazer,tudo realizar, tudo construir no sentido de bem fazer a si mesmo, mas, não na ordem passageira e temporária dos prazeres fugazes dos sentidos, mas, sim, no sentido eterno dos valores imortais da consciência - expressão pessoal do espirito imperecível.

Amar a si mesmo é aprimorar a personalidade, é perfectibilizar incansavelmente o caráter, é libertar sem desfalecimentos o seu próprio eu da escravidão do egoísmo, da vaidade, da luxúria, das mil e uma torpezas que fazem as delícias dos servos da carne.

Amar a si mesmo é em cada dia sentir-se melhor, e mais seguro, e mais forte, e mais pertinaz na conduta magnificamente reta de todos os deveres cumpridos, satisfeito, contente, com uma festa na alma, cada vez mais luminosa em cada noite, do dia ter escorrido e passado com menos erros, e mais tranquilidade, com menos imperfeições e mais pureza.

Amar a si mesmo é conduzir a vida de tal modo e com tal honestidade, que todas as vozes de aplausos ou de reprovações, se quebrem ante a realeza da voz única que é a da própria consciência que, tranquila, tem a própria presença de Deus.

Criatura humana, forja com a compreensão de tua inteligência e com a força do teu coração as armas inquebrantáveis da tua vitória sobre as inferioridades, vitória sobre o mal, vitória sobre as fraquezas da carne, vitória sobre os defeitos de todos os dias, e verás – criatura humana, que delícia esquisita, que prazer indescritível, que alegria nova - rebentará dentro de ti, enchendo-te a vida de forças e tornando-te em consequência um gigante de espírito.

Criatura humana - dentro de ti está o segredo poderoso com que poderás construir a tua própria felicidade, ou plasmar as tuas desgraças.

Abre o teu coração ao amor, que se estenda em todas os sentidos, que abarque todas as coisas, que alcance todas as criaturas – amor, vivo pela presença em todos os atos, pela demonstração em todos os instantes, pelo testemunho em todas as atitudes, - e sentirás então descer em tua alma o clarão de uma alvorada que será remédio para todos os males, e consolo para todos os desesperos e compreensão para todas as dores.

E, terás tranquilidade, serás um vencedor, senhor do segredo da vida eterna e Cristo-Jesus - a luz de nossas trevas - estará contigo.

Bezerra de Menezes (Mensagem psicografada por Azamor Serrão em 1967)